Por quê é tão difícil fazer seu filho comer? Não era para ser natural?

Bom, já vimos todas as atitudes que servem como combustível para manter o ciclo da Recusa.

E é por isso que a maioria das mães, ao tentar melhorar o problema, só pioram e acabam por não conseguir fazer seu filho comer.

Simplesmente porque elas não agem na raiz do problema. Apenas remediam com alguns artifícios.

E agir na raiz do problema significa Alfabetizar o paladar.

É preciso entender de onde começou o problema e começar a agir de lá, juntamente com uma mudança de entendimento e do comportamento familiar.

E é aí que meus 11 anos de experiência e também minha vivência com 2 lindos filhos entram.

Com essa bagagem consegui formular um método que une os dados científicos da nutrição com a vivência que só uma mãe consegue passar para outra mãe.

Digo isso porque não só ajudei diversas mães com esse método, como também apliquei com o Arthur e estou aplicando com Heitor, que acabou de começar a comer e já mostra ser um bebê bom de garfo.

Ou seja, eu confio 100% nessas técnicas, tanto que apliquei com meu primeiro filho e continuo aplicando com meu segundo.

Minha Família - Milene Henriques

Aqui em casa a refeição é uma hora tranquila e todo dia sirvo saúde no prato do meu filho

Não só em minha casa mas na casa de todas as mães que ajudei em meus cursos presenciais.

E foi aí que me lembrei da frase no e-mail da Giovanna:

“...Não pare por nada de ajudar outras mães. Todas as mães merecem saber o que você me ensinou...”

E realmente eu precisava compartilhar essas técnicas com mais pessoas.

Não poderia deixa-la exclusiva para quem viesse até meu consultório ou mesmo até meus cursos presenciais.

Assim surgiu o projeto Bebê Bom de Garfo, que hoje já conta com mais de 300 mil seguidores nas redes sociais (Facebook, Instagram e YouTube).

Mas o que mais me alegra é que com esse projeto já pude ajudar mais de 10 mil mamães diretamente.

Mães que me procuraram tão desesperadas e sem esperança quanto você provavelmente está hoje.

Mas que tiveram resultados surpreendentes...


depoimento-3

depoimento-4

depoimento-5

Cada depoimento que recebo me emociona muito...

E isso vai acontecer com você também!

Quero realmente que esqueça os momentos de birra, choro e desespero na hora da refeição...

E quero que fique tranquila quanto ao desenvolvimento e saúde do seu filho.


      MAS AFINAL, PORQUE MEU FILHO NÃO COME?

      Agora anote essas dicas...

      Para fazer uma criança comer é preciso Alfabetizar o paladar a partir da raiz do problema.

      Mas não pense que apenas sabendo a causa raiz está tudo certo.

      Será preciso encarar e mudar erros clássicos dos pais que fazem com que o filho desenvolva problemas alimentares.

      Por exemplo, você sabia que:

      O fator GENÉTICO influencia em apenas 20% das características comportamentais de um indivíduo? Os outros 80% se devem aos fatores ambientais.

      Ou seja, as atitudes relacionadas à comida que seu filho tem hoje, são 80% devido ao que ele aprendeu e apenas 20% são herdados geneticamente.

      (então nada de pensar que ele nasceu assim e vai ser assim!)

      Então é preciso mudar os hábitos alimentares da sua criança HOJE!

      E como fazer isso?

      A Alfabetização do Paladar é composta por 4 pilares:


          PILARES

          1º Pilar - Aproximação:
          Antes de querer que uma criança seletiva experimente algum alimento, ela precisa conhecer esse alimento SEM ter a intenção de comer e com isso “perder o medo” do alimento.

          A intenção aqui não é que ele coma e sim que ele pare de ver o alimento e o momento da refeição como uma ameaça.


          2º Pilar - Estímulo:
          Para que uma criança queira comer não basta oferecer e rezar para ela provar. É preciso estímulo. E para estimular da maneira correta, faça atividades lúdicas e criativas, assim você despertará o interesse pela comida por meio da curiosidade.


          3º Pilar - Oferta:
          Aqui sim você oferecerá o alimento, mas não de qualquer jeito. É preciso ser criativa e a oferta deve ser feita de forma gradual, partindo do que a criança já aceita. Nesse momento tudo é importante: cores, sabores, texturas...

          É preciso começar com alimentos familiares a ela e ir mudando gradualmente.

          Por exemplo, se ela gosta de arroz, tente ir dando alimentos de coloração textura e sabor parecidos e depois comece a variar mais...

          Chamo essa estratégia de “Gradualização da Oferta”


          4º Pilar - Perpetuação:
          Depois que seu filho melhorar a aceitação é preciso que ele comece a fazer as escolhas por si mesmo e perpetue essa mudança independentemente de onde estiver (escolinha, casa da avó, etc.). E para que isso aconteça, você deve criar memórias afetivas que serão registradas no sistema límbico (cérebro emocional) da criança.


                Todos esses pilares devem estar juntos em uma rotina correta e fazendo isso tenho certeza que você conseguirá aumentar e muito a aceitação de alimentos do seu filho.

                Tentar fazer o filho comer sem atuar nesses pilares da alfabetização do paladar faz com que seu filho crie mais e mais aversão aos alimentos, caindo no famoso Ciclo da Recusa.

                E aumentando ainda mais a seletividade dele.

                O problema é que a maioria das mães não sabem como criar uma rotina organizada e baseada nesses pilares e acabam fazendo da maneira errada, agravando o problema.

                Mas eu entendo a dificuldade.

                Alfabetizar o paladar exige técnica apurada.

                E a maioria das mães não conhece essas técnicas e ao tentarem fazer o que os palpiteiros dizes, acabam caindo no Ciclo da Recusa.

                E por isso ficam horas na mesa ouvindo choros e pirraças sem conseguir dar o alimento para seu filho.

                Ou seja sem conseguir dar saúde para o seu filho...

                A técnica para aplicar tudo que eu disse acima existe e é baseada na ciência e na rotina das mães e crianças.

                E é por isso que funciona! Ela entende os dois lados e os une.

                E não tem melhor momento para começar a resolver esse problema que não AGORA!

                Isso mesmo. Cada dia que você deixar esse problema passar, será mais e mais difícil revertê-lo.

                E no fim podem haver consequências irreversíveis.

                Nunca é tarde para nos preocuparmos com a saúde do nosso maior bem: nossos filhos e nossa família.

                E se eu disser que dá para começar a ver resultados surpreendentes em relação à alimentação do seu filho em menos de 15 dias.

                Se parece bom pra você então vou te mostrar como fazer isso.