Por quê é tão difícil fazer seu filho comer? Não era para ser natural?


Por ser nutricionista e ter ajudado várias mães assim como a Patrícia, e por também ser mãe de 2 filhos,

Eu sei exatamente o que é se sentir frustrada quando:

  • Seu filho faz birra e parece não querer nada saudável. Só come o que quer e quando quer.

  • Escuta o palpite de todos os parentes e amigos de como deve ser a alimentação do seu filho.

  • Percebe que seu filho não está crescendo e desenvolvendo de maneira normal.

  • Demora mais de 2 horas para dar um mínimo de comida para seu filho.

  • Quando o bebê troca todas as refeições pelo peito ou pela mamadeira.


Até esse ponto, talvez você já tenha percebido que, usar brinquedos, forçar, chantagear, deixar com fome ou usar recompensas e castigos não funciona a longo prazo.

Esses artifícios fazem piorar a situação e sabe porquê?

Porque a criança está associando o castigo ou a recompensa com o ato de comer.

Isso, ou gera traumas, ou mostra que comer é uma obrigação para que possa ganhar algo.

E isso não faz com que eles aprendam a comer e comam bem constantemente.

E é por isso que a maioria das mães não conseguem fazer seus filhos comerem.

Simplesmente porque elas não agem na raiz do problema. Apenas remediam com alguns artifícios.

É preciso entender de onde começou o problema e começar a agir de lá, juntamente com uma mudança de entendimento e comportamento familiar.

Felizmente, graças à minha formação como nutricionista, mestre em ciência dos alimentos e mãe de 2 filhos,

Eu pude formular um método fácil para modificar essa situação da raiz e fazer seu filho aceitar bem uma grande variedade de alimentos.

Agora você vai poder despreocupar com a saúde do seu filho em relação a alimentação e ter refeições tranquilas em família.

Estou falando de técnicas que busquei nesses 10 anos de profissão e que eu confio 100%.

Caso contrário não as teria usado (e aprovado) com meus filhos, Arthur (3 anos) e Heitor (1 ano).

Posso falar sem sombra de dúvidas que eles são sem dúvida os verdadeiros bebês bom de garfo.

Minha Família - Milene Henriques

Aqui em casa as noites as refeições são momentos sagrados que curtimos em família.

E foi aí que pensei...Eu deveria compartilhar essa técnicacom mais pessoas!

Afinal por que mantê-la restrita às pessoas que iam ao meu consultório e aos meus conhecidos?

Minha metodologia funcionava perfeitamente para meus pacientes, para os alunos das minhas turmas presenciais e mães que me pediam conselhos.

E para você ver como tudo isso é perfeitamente possível, e não funcionou somente para mim e para o caso da Patrícia, quero te mostrar o que algumas das mais de 10.320 mães, que agora sabem que seus filhos tem uma alimentação balanceada e que vão crescer com saúde .

Luciana


"Oi Milene, depois que conheci seu trabalho as coisas aqui em casa mudaram da água pro vinho. Apliquei todas as suas dicas e minha filha começou a mostrar melhoras em 1 semana. FOI INCRÍVEEEL, nem acreditei.

Muito obrigada por seu um anjo em nossas vidas"

Natália

"Foi depois de um momento estressante que decidi procurar ajuda. Em um almoço frustrante eu xinguei meu filho e depois chorei o dia todo. Foi então que comecei a te seguir, pois pra mim os legados mais importante que podemos deixar aos nossos filhos são saúde e educação. Foi um sucesso! Hoje come batata doce, moranga, quiabo...coisas que ele odiava.
Estou impressionada"

Patrícia

"Hoje meu lar voltou a ter paz. Conseguimos tornar o momento da refeição um momento verdadeiramente sagrado. Mesmo eu trabalhando fora o dia todo, quando volto consigo ter um tempo de qualidade com meu filho. "

Lívia

"Minhas refeições não duravam menos de 2 horas e eram sempre na frente da TV. Depois que conheci a Milene eu soube consertar os erros não só da alimentação do meu filho, mas dos hábitos errados que eu tinha.
Realmente transformador."


MAS AFINAL, PORQUE MEU FILHO NÃO COME?

Para fazer uma criança comer é preciso saber a raiz do problema e partir dela.

Mas não pense que apenas sabendo a causa raiz está tudo certo.

Será preciso encarar e mudar erros clássicos dos pais que fazem com que o filho desenvolva problemas alimentares.

Por exemplo, você sabia que:

  • o fator GENÉTICO influencia em apenas 20% das características comportamentais de um indivíduo? Os outros 80% se devem aos fatores ambientais. Ou seja, as atitudes relacionadas à comida que seu filho tem hoje, são 80% devido ao que ele aprendeu e apenas 20% são herdados geneticamente.
    (então nada de pensar que ele nasceu assim e vai ser assim!)

  • Você sabia também que é possível fazer programações genéticas no início da vida de uma pessoa que vão determinar pra sempre o que elas são?

  • E que uma criança obesa tem 4x mais chances de se tornar um adolescente e um adulto obeso e sofrer com todas as doenças relacionadas?


Então é preciso mudar os hábitos alimentares da sua criança HOJE!


E como fazer isso?

Para começar a resolver qualquer problema é preciso primeiro ver de onde esse problema surgiu, ou seja, quando começaram os problemas alimentares?


  • Na transição do peito para alimentos?

  • Foi em algum pico de crescimento ou salto de desenvolvimento?

  • Foi uma exposição de alimentos errados cedo demais?

  • Os pais ou parentes próximos sempre cederam e deram o que a criança queria desde cedo?

  • Foi em algum trauma ou mudança brusca (chegada de um irmão, entrada na escola...)?


São
São “N” motivos e precisamos de um aprofundamento para descobrir qual motivo da sua criança.

Depois de descoberto a causa raiz, é preciso começar a mudar o entendimento da criança.

Fazê-la desassociar aquele episódio com a comida.

Depois disso podemos iniciar a tática de aumento de aceitação de alimentos.

Nesse momento tudo é importante: cores, sabores, texturas...

É preciso começar com alimentos familiares a ela e ir mudando gradualmente.

Por exemplo, se ela gosta de arroz, tente ir dando alimentos de coloração textura e sabor parecidos e depois comece a variar mais...

Mas o que mais me intriga são os erros que a maioria das mamães cometem, tentando fazer o melhor para seus filhos.

Os 7 principais são:


1 – Não comer junto e sentados à mesa: os pais precisam ser exemplos e estímulo para a criança comer. E o mais importante, é preciso estabelecer uma ROTINA da alimentação para que tudo funcione.

2 – Usar artifícios para fazer comer – É uma solução paliativa e não vai educa-lo a comer melhor, então nada de distrair com celular, tablet, televisão ou brinquedo na hora da refeição.

3 – Desejar que seu filho saia da brincadeira ou outra atividade que esteja fazendo pra comer. Isso só vai causar estresse na hora da refeição. Se ele estava brincando antes de comer é preciso fazer uma atividade de transição para que ele entenda que a hora de comer chegou.

4 – Ceder sempre – Dizer não é uma forma de amor. E é preciso saber como lidar com as birras e ser firme para que a criança entenda que é hora de comer comida de verdade. Afinal, estar bem alimentado é diferente de estar bem NUTRIDO!

5 – Insistir para comer ou substituir a refeição por outra coisa - Os dois estão errados. É preciso entender os sinais de fome e saciedade da criança para que você não insista e cause nele uma obrigação de comer tudo (o que forma adultos que comem por gula). Mas se ele disse que não queria o almoço, por exemplo, você não deve dar biscoito ou amamentá-lo alguns minutos depois!

6 – Bater todos os alimentos juntos e dar escondido para a criança. Isso pode até deixar seu filho nutrido, mas não vai ensina-lo a comer com qualidade.

7 – Não procurar ajuda profissional qualificada.


Esses erros (e outros), associados com a causa raiz do problema, formam a mistura explosiva que faz com que seu filho não coma.

O problema é que a maioria das mães não sabem como contornar isso e acabam fazendo da maneira errada, agravando o problema.

Mas eu entendo a dificuldade.

É preciso ter ferramentas, técnicas apuradas para identificar, contornar e solucionar de vez o problema.

E a maioria das mães não conhece essas técnicas.


Usando essas Técnicas ao seu favor, você nunca mais vai precisar...

  • Ficar horas ouvindo choros e pirraças sem conseguir fazer seu filho comer.

  • Se desesperar quando precisar (ou quiser) sair para comer fora.

  • Se preocupar se a saúde do seu filho está sendo prejudicada e se ele está crescendo de maneira normal.


De maneira clara...

É possível fazer seu filho comer bem, a partir de um método que realmente funciona.

Isso porque leva em conta todo o problema, desde a raiz até os detalhes de comportamento

E não o senso comum, que é utilizado por mais de 93% das mães que tentam sem sucesso.

E que mãe não quer que seu filho coma bem para que cresça com saúde e inteligência? Ou melhor,

Que mãe não quer que sua família e principalmente, seus filhos sejam FELIZES?

Como você viu, uma parte muito importante para proporcionar uma boa alimentação para seu pequeno é modificar pequenas atitudes familiares

Fazer isso significa não só dar saúde para seu filho.

Significa criar um ser independente, feliz e em um ambiente que estimule o bom relacionamento

Se você me perguntasse: Mila, quando é a melhor época para começar ensinar meu filho a comer bem?

Eu certamente diria que o momento ideal teria sido desde que ele começou a introdução alimentar até por volta dos 2 anos...

E se é seu caso, parabéns! Está na hora ideal para começar...

Mas se não é, minha sugestão é começar no segundo melhor momento possível...AGORA!

Quanto mais tarde você resolver se atentar para esse problema, pior será para conseguir revertê-lo.

E o pior, já podem haver consequências.

Nunca é tarde para nos preocuparmos com a saúde dos nossos filhos e a tranquilidade das nossas famílias.

Afinal, eles são o seu bem mais precioso e não há mais tempo a perder!

Os filhos crescem em uma velocidade assustadora.

O que acha de curtir ao máximo cada fase da vida do seu filho, sem perder a paciência e ficar exausta por causa estresses na mesa de refeição, tudo isso dentro dos próximos 30 dias?

Parece interessante para você?

Então vou te mostrar como fazer isso!